Follow by Email

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Um dos aspectos negativos que considero mais relevante é a exclusão dos alunos com NEE ( Necessidades Específicas de Educação), nas escolas, uma vez que estas crianças com várias dificuldades de aprendizagem permanentes, como por ex: a hiperactividade, dislexia, deficiência mental, etc…, não têm qualquer tipo de apoio.

Por mais que os pais das crianças com NEE, “ lutem” por provar a incapacidade dos seus filhos, esta “batalha” continua a ser em vão.
Perante esta situação, pergunto… como irá ser o futuro profissional destas crianças com NEE, quando chegar o dia da transição da escola para o emprego ?... O futuro da maioria dos alunos com NEE permanente não estará comprometido?

Ensino e NEE

O decreto-lei 3/2008 diz que a educação das crianças e jovens surdos deve ser feita através de ensino especial que possibilite o domínio da língua gestual portuguesa, o domínio do português escrito e falado.
Penso que o novo decreto-lei nº 3/2008 que veio substituir o anterior contêm aspectos positivos e negativos.
O decreto-lei anterior era uma mais-valia para ajudar as crianças com deficiência ajudando-as a inserirem-se nas escolas e em sociedade, tinha mais apoios e eram mais adequados para as crianças com este tipo problemas (NEE).
Um dos aspectos negativos que considero muito importante é a rejeição das crianças com NEE de carácter temporário nas escolas, uma vez que estas crianças têm vários problemas de aprendizagem.

Crianças com NEE

Com o passar dos anos e após muitas lutas e dificuldades travadas, como refere na Declaração de Salamanca (1994) “por um tempo demasiado longo as pessoas com deficiência têm sido marcadas por uma sociedade que acentua mais os seus limites do que as suas potencialidades”, chegamos a um conceito de Integração escolar, pretende-se assim que as crianças com Necessidades Educativas Especiais tenham lugar e direito a uma educação no ensino regular.
Uma questão que nos parece importante e que se coloca para que o trabalho com crianças com NEE se processe com eficácia, neste novo quadro inclusivo, é a que se prende com a questão da conceptualização. É importante que a internalização e a disseminação do conceito de NEE aconteça por todos os intervenientes no sistema educativo, em especial professores, educadores, técnicos de educação, psicólogos e encarregados de educação e crianças, o que abre caminho para subsequentes práticas integradoras e para o reconhecimento das diferenças e a promoção de igualdade de direitos desta infância a partir do espaço educativo.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

As Crianças

Quando as crianças brincam
E eu as oiço brincar,
Qualquer coisa em minha alma
Começa a se alegrar.

E toda aquela infância
Que não tive me vem,
Numa onda de alegria
Que não foi de ninguém.

Se quem fui é enigma,
E quem serei visão,
Quem sou ao menos sinta
Isto no coração.

Fernando Pessoa